top of page
  • Foto do escritorGeoAmbiental Jr.

Dia Mundial da Reciclagem

No dia 17 de maio, é comemorado o Dia Mundial da Reciclagem, data essa que busca conscientizar sobre a importância dessa prática. A maioria das pessoas não enxergam a problemática por trás da não separação do lixo, mas sofrem de suas consequências. A má destinação dos resíduos, nas ruas, calçadas, terrenos baldios e até gerando lixões, acaba por contaminar todo o ambiente ao redor, pelas ações do clima, como em épocas chuvosas, o resíduo é transportado para outros lugares, entupindo bueiros, bocas de lobo e sistemas de drenagem da cidade, ocasionando os alagamentos.


Assim, o ambiente em contato com resíduos sólidos e orgânicos produz reações físico-químicas prejudiciais para o solo, rios, lagos e atmosfera, produzindo uma poluição irreversível para as próximas gerações.

Anualmente são produzidos cerca de 2 bilhões de toneladas de resíduos no mundo todo, onde estima-se 3,4 bilhões de toneladas até 2050. Os Estados Unidos lideram como a potência que gera, com mais de 70 milhões de toneladas e reciclando apenas 34,6%, o Brasil fica em 4º lugar na produção de lixo, com 11 milhões e 1,28% reciclados, sendo um dos menores índices de reciclagem do mundo, segundo o Fundo Mundial para a Natureza (WWF)


Além da destinação final ser irregular e qualquer atividade humana na era moderna gerar algum tipo de resíduo, a falta de reciclagem abre portas para maior produção de resíduos novos que geram novos desgastes na natureza, como por exemplo para produção de uma tonelada de papel novo consome-se até 60 árvores de eucaliptos, 100 mil litros de água e 5 mil KW/h de energia.


Enquanto uma tonelada de papel reciclado consome 1.200 Kg de papel velho, 2 millitros de água e 1.000 a 2.500 KW/h de energia, reduz em 74% os poluentes liberados no ar e em 35% os efluentes na água, poupando a vegetação; uma tonelada de latinhas de alumínio, quando recicladas, economiza 200 metros cúbicos de aterros sanitários.


Podemos contribuir hoje e sempre com um meio ambiente mais saudável através da reciclagem, sabendo diferenciar os tipos de resíduos, separando sempre os resíduos sólidos dos resíduos orgânicos e também higienizando as embalagens de comida para não contaminarem a coleta seletiva.

Vidros podem ser completamente reciclados, mas devem ser embalados em algum papel como papelão ou jornal com a sinalização de objeto cortante no interior, ao ser realizado o descarte.

O óleo de cozinha nunca deve ser descartado em pias ou vasos sanitários, podendo ser reutilizado para confecção de sabão; pilhas e baterias também não são coletados pela coleta seletiva e um ponto de descarte deve ser procurado. Muitas cidades possuem coleta seletiva, sendo apenas necessário separar seus resíduos, mas em outras cidades deve-se procurar informações de lugares que fazem essa coleta, sendo geralmente, encontradas através da prefeitura.

O primeiro passo é do consumidor, somos nós que devemos fazer a separação dos nossos resíduos e dar o exemplo para as próximas gerações seguirem, diminuindo o consumo excessivo de produtos novos, objetos de plásticos como sacolinhas, optando por produtos naturais ou biodegradáveis, praticando a doação de roupas e objetos que não usam mais, e em caso de dúvidas sobre a destinação de algum resíduo prefira se informar e realizar do modo correto ao invés de contribuir para a poluição mundial. Uma simples mudança no seu cotidiano, gera empregos e um meio ambiente mais saudável!!



Fontes:

0 comentário

Comments


bottom of page