top of page
  • GeoAmbiental Jr.

Rios do Oeste Paulista

Água doce é o que tem em abundância na região oeste de São Paulo, com seus rios volumosos e diversas opções de balneários.

Vamos conferir alguns dos principais rios da região do Oeste Paulista e os benefícios deles.

RIO PARANÁ: Localizado na região sul, destaca-se a Bacia do Paraná, através do rio Paraná. Ele é fundamental para a biodiversidade da região e também de grande importância para o setor de energia. No oeste paulista ele se transforma no imenso lago da Usina Hidrelétrica Engenheiro Sérgio Motta, formado em 1998.

Muitas usinas hidrelétricas foram construídas no rio Paraná, entre elas a famosa Itaipu, a de Porto Primavera e Jupiá, no Mato Grosso do Sul, e Ilha Solteira, em São Paulo. Apesar de ser um rio tipicamente de planalto, o Paraná, juntamente com alguns de seus afluentes, é utilizado como via de transporte.

Dois rios principais – Grande e Paranaíba, que drenam parte das águas dos estados de Goiás, Minas Gerais e São Paulo – são os formadores do rio Paraná a partir de sua confluência. Ele tem os rios Tietê, Paranapanema e Iguaçu como seus principais afluentes, todos na margem esquerda.

O Paraná e o Tietê formam a hidrovia Tietê-Paraná, uma importante via de circulação de produtos e pessoas entre as regiões Sudeste, Centro-Oeste e Sul.

O rio Paraná, a partir da foz do rio Iguaçu, passa a ser o limite natural entre Argentina e Paraguai. Na confluência do rio Paraguai, o rio passa a banhar exclusivamente terras argentinas, desaguando no Rio da Prata, que dá nome a esta importante bacia. Ao receber também as águas do Rio Uruguai, constitui a quarta bacia do mundo: a bacia do Prata, com 3.190.000 km2.

Rio Paraná


RIO PARANAPANEMA: A Bacia Hidrográfica do Rio Paranapanema está localizada entre os estados Paraná e São Paulo, em um território de 105.921 km², abrangendo um total de 247 Municípios (sendo 212 com sedes urbanas na Bacia) – 51% do território encontra-se no Paraná, com 132 municípios (123 sedes urbanas) e 49% em São Paulo, com 115 municípios (99 sedes urbanas). A população total da Bacia foi estimada em mais de 4.680.000 habitantes, sendo 87,5% urbano e 12,4% rural, e, ainda, 62,9% no Paraná e 37,1% em São Paulo.

O Rio Paranapanema nasce na Serra de Agudos Grandes, no sudeste do Estado de São Paulo, a cerca de 100 km da Costa Atlântica e a aproximadamente 900m de altitude. Tem sua foz no Rio Paraná, após percorrer cerca de 900 km.

Ele é tão importante que tem o seu próprio dia, criado pela Lei Estadual 10 488/99 (Antônio Salim Curiati), (sancionada pelo governador Mário Covas), designado 27 de agosto.

Paranapanema é o rio menos poluído do estado de São Paulo.

Rio Paranapanema


RIO AGUAPEÍ: O rio Aguapeí, também conhecido como rio Feio ou o rio dos Aguapés, é um curso de água que banha o estado de São Paulo, no Brasil. Ele nasce no município de Gália. Segue para o norte até a altura de Lins. Em seguida, para oeste, passando por Luiziânia, a partir de onde recebe muitos afluentes até desaguar no rio Paraná, entre os municípios de Nova Independência e São João do Pau d'Alho.

É um curso de água que banha o município de Adamantina em aproximadamente 9.300m.

Percorre mais de 300 km, sendo, portanto, um dos maiores rios do estado de São Paulo em extensão. Em todo seu percurso, corre aproximadamente paralelo ao rio Tietê, que se localiza ao norte.

Rio Aguapeí


RIO DO PEIXE: O Rio do Peixe nasce na Serra do Espigão, localizada no município de Calmon a uma altitude de 1.250m, e percorre aproximadamente 299 km até desaguar no Rio Uruguai, no município de Alto Bela Vista, a uma altitude de 387m. Na margem direita do rio do Peixe está localizada a histórica estrada de ferro que liga os estados de São Paulo e Rio Grande do Sul.

Para a formação desta Bacia fazem parte 3.803 rios e córregos, contribuindo para a vazão média de 120 m³/s.

A bacia apresenta uma morfologia formada por vales e montanhas, com drenagens encaixadas em fraturas geológicas. Na região do município de Caçador, alto da bacia, existem ações erosivas menos intensas com topografias mais aplainadas, já na região de Joaçaba e Piratuba, baixo da bacia, ocorrem ações erosivas mais intensas. Na bacia do rio do Peixe, o Aquífero Guarani está a uma profundidade média de 600 m e apresenta grandes vazões de água.

Os valores médios anuais, correspondem a aproximadamente 1.800mm de precipitação na bacia. A vegetação da região é formada por cobertura florestal característica da Floresta Estacional Decidual e Floresta Ombrófila Mista. Devido principalmente aos desmatamentos para ocupação agrícola e pecuária, exploração madeireira e abertura para formação de vilas, em quase todas as áreas do Rio do Peixe a vegetação original deu lugar a florestas secundárias, capoeirões, capoeiras, reflorestamento de exóticas, pastagens e agricultura.

Rio do Peixe


RIO SANTO ANASTÁCIO: O Alto da Bacia Hidrográfica do Rio Santo Anastácio localiza-se no oeste do Estado de São Paulo, compreendendo uma área de aproximadamente 2000 Km2, abrangendo centros urbanos, como as cidades de Presidente Prudente, Presidente Bernardes, Santo Anastácio, Presidente Venceslau e Presidente Epitácio.

Neste trajeto percorre cerca de 102 km. Ao longo de seu trajeto, suas águas são usadas na irrigação de culturas, consumo direto por animais de cria e engorda, abastecimento de zonas rurais e urbanas.

Rio Santo Anastácio


FONTES: Rio Paraná - Só Geografia (sogeografia.com.br)

Os grandes rios do oeste paulista e balneários da região | SkyscraperCity Forum

Características – Rio Paranapanema

SF-22-X-C-IV-2.jpg (3477×4333) (ibge.gov.br)

Definição de Bacia Hidrográfica - Comitê Rio do Peixe (cbhriodopeixe.com.br)

Hasegawa_SBSR_final (inpe.br)

0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page