• GeoAmbiental Jr.

Série Produção Mais Limpa: Indústrias de Refrigerante e Cervejeira

Atualizado: Ago 3

Em geral a Produção Mais Limpa (P+L) pode ser definida como um conjunto de estratégias, práticas e condutas econômicas, ambientais e técnicas, que vão evitar ou reduzir a emissão de poluentes no meio ambiente, através de ações preventivas, ou seja, evitando a geração desses poluentes ou desenvolvendo alternativas para serem reutilizados ou reciclados.

Embora o conceito de P+L seja novo, ele trata principalmente da melhoria no processo de produção, o que é uma busca frequente na maioria das indústrias. Mas ainda existem muitas dúvidas sobre a aplicação da P+L no cotidiano da empresa, algumas dúvidas que surgem são: “Quais são os benefícios e vantagens que traz para a empresa?”, “De que forma ela pode ser efetivamente aplicada nos processos e na produção?”, ou então “Como uma empresa de pequeno porte pode aplicar esse conceito, visto que a primeira vista parece muito sofisticado ou dependentes de tecnologias caras?”.

De acordo com a CETESB - Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental, as vantagens são relevantes para todos os envolvidos, desde o indivíduo à sociedade, do país ao planeta, mas é a empresa que obtém os maiores benefícios, visto que para ela, a P+L reverte em redução de custos de produção, aumento de eficiência e competitividade, diminuição dos riscos de acidentes ambientais, melhoria das condições de saúde e de segurança do trabalhador, melhoria da imagem da empresa junto a consumidores, fornecedores, poder público, mercado e comunidades, ampliação de suas perspectivas de atuação no mercado interno e externo, maior acesso a linhas de financiamento, melhoria do relacionamento com os órgãos ambientais e a sociedade, entre outros.

Hoje, seguindo a série que foi iniciada na nossa página do facebook, nós vamos apresentar algumas estratégias para diminuir os impactos negativos causados pelas indústrias cervejeira e de refrigerante, e se você quer saber quais são esses impactos clique aqui para ser redirecionado à ao nosso post.

A primeira medida de produção mais limpa está ligada ao uso eficiente da água e minimização de efluentes, que nesse tipo de indústria é dividido em cinco utilidades, sendo elas a lavagem das garrafas, pasteurização, lavagem de equipamentos, envase e limpeza de pisos. Em geral, o consumo de água é alto devido aos diversos processos de limpeza, que devem ser feitos com frequência, e isso influencia diretamente na quantidade de efluentes gerados, sendo assim, uma forma de diminuir o consumo de água na lavagem das garrafas tem haver com o equipamento usado, nas lavadoras mais modernas o consumo já é baixo, mas nas antigas, o volume pode ser até 8 vezes maior, sendo assim, é recomendado a instalação de válvulas automáticas, que cortam o fluxo quando houver parada, e também a realização de um controle de fluxo, evitando o uso de vazões maiores do que a necessária.

Em relação a água pasteurizada (água aquecida), que é usada em sistema aberto e sendo destinada a ETE - Estação de Tratamento de Esgoto, em geral está limpa, com exceção no caso de quebra acidental de garrafas no interior do equipamento. Nesse caso, sugere-se fechar o circuito utilizando uma torre de resfriamento ou outro tipo de sistema para o resfriamento, desta forma, a água é resfriada e pode retornar ao pasteurizador, sendo necessário repor apenas as perdas por evaporação e respingos.

Para a limpeza de equipamentos recomenda-se utilizar a limpeza a seco, antes do uso de soluções de limpeza, removendo os restos de produto por gravidade ou com uso de ar comprimido. Grande parte das indústrias já conseguem reutilizar a solução de limpeza de ciclos anteriores em ciclos futuros, mas ainda assim a preocupação maior é com uso de detergentes fosfatados como agentes de limpeza, visto que o fosfato em um corpo d’água causa a eutrofização.

A segunda medida de P+L é relacionada ao uso racional de energia, que é dividido entre calor e eletricidade. Em uma cervejaria, recuperar o calor gerado pode fazer com os custos de eletricidades sejam reduzidos. Garantindo um bom isolamento térmico em tubulações, dornas, tanques e conexões, etc, com 89 mm de espessura, estima-se uma economia de 450 kg de óleo combustível por ano, o suficiente para produzir 120 hl de cerveja. Já na questão de eletricidade, é recomendado a troca de equipamentos por modelos mais modernos, além disso, aconselha-se trocar todas as lâmpadas incandescentes por lâmpadas fluorescentes, instalar interruptores de detecção de presença nos locais onde não há necessidade de iluminação contínua.

Um outro problema que essas indústrias sofrem é com o alto consumo de matéria prima, então, nesse caso a Produção Mais Limpa entra com estratégias de diminuição matéria prima e reaproveitamento de resíduos. Grande parte do bagaço do malte, grãos de malte excedente, torta de filtração (trub fino e grosso) e levedura excedente já são vendidos para indústrias alimentícias, onde são produzidos rações animal, os resíduos de embalagens (vidro, plástico, alumínio e papel) são vendidos para a reciclagem, mas a cerveja residual ainda é um problema constante, então recomenda-se a realização de um plano de boas práticas, onde haverá um cuidado maior ao manusear os produtos e também uma manutenção mais frequente nos equipamentos.

Todos os dados do texto foram retirados do manual da série P+L da CETESB.


(18) 3229-5412 

ACOMPANHE NOSSAS REDES SOCIAIS 

  • LinkedIn - Círculo Branco
  • Facebook - Círculo Branco
  • Instagram - White Circle