• GeoAmbiental Jr.

Tipos de barragens

As barragens são construções feitas com a finalidade de reter sólidos e líquidos contidos em efluentes, de modo com que a elevação construída possa barrar o percurso que se segue, servindo como uma fonte de reserva, produção de energia elétrica, controle da produção, recreação, despejo de rejeitos e controle de cheias, construídas transversalmente acima de rios, córregos ou canais. Isso acaba por causar impactos ao meio ambiente, como consequência da criação de uma área alagada não natural que obriga a mudança de hábitos da vida ao redor.


  • Quanto à construção da estrutura, esta pode ser feita de terra ou enrocamento e concreto:

As barragens construídas de terra são comuns aqui no Brasil e representam uma estrutura mais simples adotada pelo empreendimento, sendo muitas vezes formada por vales em grande proporção e com grau de declividade baixo, que desempenham seu papel principalmente para o armazenamento de água (como para o represamento de rios que se utilizam uma hidrelétrica). São compostas por duas estruturas: a fundação, que confere resistência, permeabilidade e compressão, e o maciço, que pode ser composto de um solo argiloso homogêneo ou núcleos de argila.



As de enrocamento são construídas por material rochoso de escavação, a opção é escolhida principalmente quando há a disponibilidade do material em alguma construção nas proximidades, minimizando custos com transporte. Sua estrutura é formada por pedras maiores no entorno e ao centro por grânulos mais finos de argila ou silte, que proporcionam a impermeabilização da estrutura, sendo recomendado para locais estreitos.



Enquanto que as barreiras construídas de concreto simples ou armados são construídas em diferentes formatos com finalidades específicas, como: a variação concreto estrutural com contraforte, que utiliza de blocos maciços com juntas de vedação verticais para evitar fissuras; a de gravidade aliviada que otimiza a utilização do concreto por meio da utilização de montantes inclinados e reduzindo as espessuras dos blocos; e a estrutura em forma de arco, que consiste em uma estrutura curva que transfere a pressão d’água ao arco, sendo indicados à vales que se estreitam também reduzindo o volume de concreto utilizado.



  • Cuidados com a construção:

Preferencialmente a construção de uma barragem deve ser feita após uma análise topográfica do terreno, escolhendo a porção do curso d’água com queda natural, e após a escolha do local, o modelo a ser construído depende da finalidade da construção (por exemplo, cada uma demanda uma resistência, um orçamento disponível), do material disponível no entorno, a resistência do solo em que se irá apoiar a barragem e a proposição da construção, como para a retenção de água ou afluentes de rejeitos de minério.


Assim como existem cuidados antes da construção, também há a necessidade de monitoramentos e manutenção constantes para haver um funcionamento correto da estrutura. As inspeções devem ser feitas de acordo com a Política Nacional de Segurança de Barragens, analisando dados geotécnicos e visuais, que emitem um Laudo de Estabilidade. Como para as barragens de rejeitos de mineração, que com a ausência de medidas preventivas, como um plano de contingência, podem ocorrer rompimentos na estrutura.


Como, por exemplo o maior desastre ambiental do Brasil: o rompimento das Barragens de Mariana (2015), onde após romper a Barragem de Fundão causou uma reação em cadeia na Barragem de Santarém, com rejeitos classificados em classe III, com alto potencial poluidor, que devastou distritos, cidades, toda a sociedade local (inclusive com a perda de vidas) e contaminou quilômetros da bacia do Rio Doce com rejeitos oriundos do processo de beneficiamento da mineração, gerando resíduos sólidos que decantam na área alagada e por conter metais pesados, permanecem por muito tempo na natureza, se bioacumulando pela cadeia alimentar, atingindo todo o ecossistema do entorno. A causa deve-se à ausência de fiscalização, pois a barragem havia atingido sua capacidade limite, ocorrendo nela um processo de alteamento, que decorreu em um vazamento e então o rompimento. A ausência de um plano de contingência.


Fontes:

Barragem de rejeitos e os casos Mariana e Brumadinho

Barragens (portal de boas práticas da ANA)

Tipos de barragens

Conheça os principais tipos de barragens e suas funções!



0 comentário

Posts recentes

Ver tudo